06 fevereiro, 2011

TEXTO DA NATHANY

Faculdade AGES
Aluna: Nathany Carvalho Nascimento
2º Período de Enfermagem
Professor: Ernande Valentim do Prado

Na aula do dia 01 de fevereiro 2011, no primeiro momento, escutamos uma música de Chico Buarque – Solidariedade. Em sala concordamos que o conceito de solidariedade, é ajudar sem pedir nada em troca. Logo após, retomamos a história da aula passada e cada aluno contou uma história de vida que simbolizasse o cuidado. Chegando a levantar também alguns questionamentos. A história que eu contei foi de Verônica[1], que tem 50 anos, esta junto com Rafale1 de 70 anos, há 20 anos, e tem uma filha Vanessa1  com 18 anos. Mas antes disso, ele era casado e teve outros filhos. Seu Rafael tem mal de Parkinson. Há uns 4 anos, não caminha, e mal fala. No entanto sua companheira não o deixou, mesmo sabendo que ele esta inativo, vivendo numa cama de hospital em sua casa ou na cadeira de roda. Verônica cuida dele com o maior carinho, fala dele como se ele fosse o filho dela. Leva para tomar sol pela manha na cadeira de roda passando pelos paralelepípedos, canta para ele, prepara sua comida com todo amor. Mas principalmente da amor, carinho, atenção, segurança, respeito. Mesmo sabendo que não ganha nada em troca a não ser o olhar dele, e a presença dele, e isso, é o que te fortalece, fazendo-a sorrir e esta sempre feliz.

            Com todas as histórias que foram contadas, podemos perceber que se relaciona muito com o que já estudamos e com o que iremos estudar. Pois, cada um tem um conhecimento, uma vivência, uma arte e com isso conseguimos relacionar com as outras pessoas. Waldow (2008, p.16). diz que “a prática do cuidado consiste no uso do conhecimento de enfermagem”. A fundamentação teórica do cuidado vem de séculos, quando alguns filósofos cuidavam não somente do corpo, como também da alma. Com o tempo a igreja ficou encarregado junto com mulheres e homens de cuidar das pessoas. Hospitais foram construídos para dar cuidado. Mas não havia um cuidado verdadeiro com o corpo, pois estavam ali para cumprir tarefas. No entanto com o tempo o saber e o fazer foram se aprimorando nas ações da enfermagem, denominando hoje como o cuidado. Para Waldow (2008, p.51) “a arte da enfermagem é o cuidado”. E a arte é expressa pelo modo como você faz e realiza, podendo ser sentido e vivido. 

Então o cuidado envolve a arte e o conhecimento. A enfermeira tem que ver a pessoa como um todo, de forma natural, demonstrando sempre carinho, interesse, preocupação, respeito, passar segurança, para que assim ele se sinta seguro. E isso é o que faz Dona Veronica. O cuidado não é somente a técnica, segundo Waldow  (2008, p. 69) “o que diferencia o cuidar de um procedimento é a preocupação, o interesse, a motivação, expressos em um movimento, em um impulso que nos dirige no sentido de fazer algo para ajudar”. Dona Veronica certamente não domina as mesmas técnica que uma Enfermeira, mas pode cuidar tão ou melhor que ela, pois a técnica é só uma parte do cuidado.  Logo, o profissional de saúde tem que ter habilidade com sua arte e competência e com seu conhecimento e diálogo, para que assim, possa cuidar verdadeiramente. 

Referência:
WALDOW, Vera Regina. Bases e Princípios do Conhecimento e da Arte de Enfermagem. Petrópolis, RJ: Vozes 2008.


[1] O nome foi mudado para preservar a identidade da pessoa real retratada.

Nenhum comentário: