24 maio, 2008

VIAGEM PARA BRASILIA

Hoje, 24 de maio de 2008, embarco as 17 horas para Campo Grande, de onde devo partir para Brasília no domingo pela manhã. Irei participar de um seminário de avaliação e capacitação em promoção de saúde tendo em vista o projeto de incentivo a prática de exercícios físicos.

Por falar em exercícios físicos: começaram muito bem as atividades em Rio Negro. Em pouquíssimo tempo, 2 semanas, já temos um público muito grande praticando ginástica no ginásio de esportes do município. Os servidores do Centro de Saúde já estão se acostumando a ginástica laboral pela manhã e nesta semana que entra começam as caminhadas. A participação da educadora física também é muito boa nas reuniões e na equipe.


No dia 28, enquanto ainda estarei em Brasília, vai acontecer a avaliação do programa de Hanseníase e Tuberculose em Rio Negro. Além da avaliação vai haver uma capacitação em diagnóstico de hanseníase. Infelizmente não estarei presente, mas toda equipe vai estar. Nesta reunião é muito provável que receberemos a noticia oficial de que fomos premiados pelas nossas ações educativa em torno do tema TUBERCULOSE.

Ano passado já havíamos recebido essa informação extra oficialmente e o prémio não veio, mas agora parece ser certo, pois até a data de recebe-lo já foi informada. Esse prémio, caso venha mesmo, é o reconhecimento da grandeza e da evolução da equipe, não só em torno das questões ligada a tuberculose, mas em todo processo educativo realizado pela Estratégia Saúde da Família.

Em se falando em TUBERCULOSE é bom frisar que houve uma evolução muito grande no trabalho realizado na identificação de sintomáticos respiratórios e encaminhamento para exames. É mérito de toda equipe, mas especialmente do ACS - Agentes Comunitários de Saúde, que têm feito um verdadeiro rastreamento nas micro áreas de cobertura.

Os campeões de identificação de sintomáticos e colecta de exames são: Enio e Luiz Carlos, mas todos os outros ACS estão bem cotados.

Esse bom desempenho não vem por acaso, mas pelo empenho realizado durante todo ano passado, e que segue neste, em torno do problema. Estamos sempre enfatizando a TUBERCULOSE, o processo de diagnóstico e cura e desta forma a população já vem conseguindo "relacionar" com esse problema de forma menos traumática. O que explica o fato de não se assustarem tanto quando são abordadas pelos ACS e questionadas sobre a tosse e a possibilidade de fazer o exame de escarro.


Não é só em tuberculose que temos bons resultados e bons exemplos para demonstrar de nosso trabalho, mas isso fica para outra postagem.

3 comentários:

kurye disse...

sevimli değrli

kurye disse...

nabersin koç

winner disse...

Ive read this topic for some blogs. But I think this is more informative.