13 agosto, 2012

OS PRIMEIROS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO


A VISÃO DOS ENFERMEIROS E USUÁRIOS: ACERCA DO “CUIDADO HUMANIZADO” NA CLÍNICA MÉDICA DO HOSPITAL REGIONAL MONSENHOR JOÃO BATISTA DE CARVALHO DALTRO (HRL)
 
IGNÊS MARQUES DE OLIVEIRA

 
RESUMO
 
O presente trabalho tem como temática a humanização em ambiente hospitalar. Assim, teve como objetivos observar a visão dos enfermeiros e usuários acerca do “cuidado humanizado” na Clínica Médica do Hospital Regional Monsenhor João Batista de Carvalho Daltro (HRL), que fica localizada na Avenida Brasília, S/N – Horta,será que precisa disto? Lagarto-SE. Tendo ainda como específicos: compreender o que venha a ser humanização, realizar uma breve abordagem histórica da Política Nacional de Humanização (PNH), contextualizar o papel da Enfermagem e a sua dimensão do cuidado; analisar a concepção dos enfermeiros e dos pacientes sobre o cuidado humanizado na Clínica Médica do Hospital Regional Monsenhor João Batista de Carvalho Daltro (HRL). Para tanto foi realizada uma pesquisa quantitativo e exploratório de caráter descritivo com levantamento de dados através de questionário semiestruturado. Foram abordados os seguintes aspectos: Humanização: um conceito em construção;  Política Nacional de Humanização:  surgimento Diretrizes e Dimensões; Enfermagem Moderna e a  Dimensão do Cuidado e a Enfermagem e o Cuidado.

 PALAVRAS-CHAVE: Cuidado, Humanização, Enfermagem.

FATORES QUE CONTRIBUEM PARA NÃO UTILIZAÇÃO DO EPI, PELOS AGRICULTORES DO POVOADO LAGOA PRETA, PARAPIRANGA- BA
 
PEDRO GUEDES DA SILVA DOURADO

 
RESUMO
O uso de agrotóxicos no Brasil vem crescendo a cada ano, colocando o país entre os maiores consumidores do defensivo agrícola. Com o aumento do consumo, também cresce os efeitos danosos que ele traz para o meio ambiente e para saúde do homem, segundo dados do ministério da saúde, no Brasil os agrotóxicos são a segunda maior causa de intoxicações, perdendo apenas para os medicamentos. Para amenização desta realidade, é necessário que os aplicadores destes produtos adotem medidas de prevenção, entre elas se destaca o uso do EPI (Equipamento de proteção individual), que é todo equipamento destinado à proteção individual do trabalhador aos riscos que o mesmo está exposto. Em Paripiranga a minoria dos agricultores faz (ou não faz) o uso desta proteção, dessa forma esta pesquisa tem a finalidade de descobrir e analisar os principais fatores que levam ao não uso dos EPI’s, tendo ela uma grande relevância pratica, teórica, social e acadêmica, pois na cidade não existem estudos com essa finalidade, logo a partir dos resultados obtidos, poderá ser realizada ações que promovam o uso do EPI. Trata-se de um estudo descritivo, de natureza quantitativa, em que os dados foram obtidos por meio da aplicação de 75 questionários compostos por perguntas abertas e fechados, no povoado Lagoa Preta em Paripiranga-BA, no mês de maio de 2012. Os entrevistados tinham idade entre 19 e 93 anos, sendo 67% do sexo masculino e 33% do feminino. Foram  encontrado que 65% dos agricultores entrevistados faziam uso de agrotóxicos e destes apenas 49% usam o EPI toda às vezes em que aplica defensivos agrícolas.
PALAVRAS-CHAVE: Agrotóxico; EPI; saúde.

 PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DE PACIENTES ACOMETIDOS POR TUBERCULOSE NO MUNICIPIO DE LAGARTO/SE NO PERÍODO DE 2001 A 2010

ROSE CLEICE NASCIMENTO DE JESUS
  
 
RESUMO

A tuberculose é uma doença infectocontagiosa, causada por um micro-organismo denominado bacilo de koch (BK). Tem amplitude mundial e acomete o homem há séculos. Atualmente tornou-se uma doença re-emergente, principalmente nos países em desenvolvimento, assim como o Brasil. Este TCC é uma pesquisa retrospectiva longitudinal, de análise descritiva com abordagem quantitativa, que tem como objetivo traçar o Perfil Epidemiológico dos pacientes acometidos por tuberculose no município de Lagarto no período de 2001 a 2010. A amostra constituiu de todos os casos de tuberculose notificados nas Unidades Básicas de Saúde do município de Lagarto/SE. A coleta de dados foi realizada no Departamento de Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde de Lagarto/ SE, através do banco de dados do sistema de Informações de Agravos de Notificação (SINAN). Com tratamento estatístico de seus respectivos freqüências, medicina de tendência central e de dispersão. Sendo perceptível que a maioria dos portadores da doença são do sexo masculino, adulto jovem de 20-49 anos, baixa escolaridade. O alcoolismo é um dos agravantes associados de maior frequência na tuberculose pulmonar na maioria dos casos. O estudo demonstrou que a alta por cura vem se mantendo em elevada, embora a concepção sobre a doença, por parte das equipes, seja restrito. O trabalho demonstra-se de grande importância para estudantes e profissionais, quanto maior forem as informações sobre o problema, mais fáceis e precisas serão as intervenções .

Palavras-chaves: tuberculose, educação, prevenção, tratamento, saúde. 



 PERFIL DOS ENFERMEIROS E ENFERMEIRAS RECÉM-FORMADOS, ATUANTES NO HOSPITAL REGIONAL DE LAGARTO - SERGIPE
ELIELMA RIBEIRO DOS SANTOS
 
RESUMO

Esta pesquisa tem como objetivo traçar o perfil dos enfermeiros e enfermeiras recém-formados, atuantes no Hospital Regional de Lagarto (SE).  Para alcançar esse objetivo, foi feita uma pesquisa de campo utilizando um questionário semiestruturado aplicado para enfermeiros recém-formados que atuam no Hospital. Foram analisadas variáveis demográficas, renda, capacitação, formação acadêmica
 e outras. Após coleta de dados, as variáveis foram categorizadas e apresentadas, considerando as falas dos sujeitos. Os resultados demonstram insatisfação quanto ao tempo de estágio promovido pelas universidades e a falta de uma educação permanente nos hospitais empregadores. 47% dos entrevistados estudaram em instituição pública. Dos entrevistados, 100% responderam que a metodologia utilizada na universidade foi tradicional, na qual apenas o professor é detentor do conhecimento. 94% sentiram dificuldade no seu primeiro emprego. Em relação à formação do aluno para a prática profissional, 59% dos entrevistados responderam que não. Portanto, tem-se que o recém-formado precisa de algo como treinamento e incentivo à pratica para obtenção da segurança na sua função profissional, e que o perfil dos enfermeiros e enfermeiras recém-formados, atuantes no Hospital Regional de Lagarto (SE) é de insegurança, estresse, sentimento de falta de apoio da instituição de ensino, que poderia promover mais estágios, quando a instituição poderia, no mínimo, treinar, capacitar e incluir essa demanda numa educação permanente, avaliando o perfil de cada profissional de acordo com as áreas de atuação, para que haja um índice de satisfação, pois, funcionário satisfeito desempenha um trabalho satisfatório e de qualidade.
 
PALAVRAS-CHAVE: Enfermeiros; Graduação; Emprego.

Os trabalhos foram apresentado no dia  7 de agosto de 2012, no Auditório Orlando, da Faculdade AGES.

Um comentário:

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.