01 maio, 2012

UFS - CAMPUS DE LAGARTO - EXEMPLO DE PORTFÓLIO


PORTFÓLIO REFLEXIVO DE APRENDIZAGEM

EXEMPLO 1

Aluno: Laís Melo Andrade
Tutor: Ernande Valentin
Turma: GT- 26
Subunidade: 1


Título do Problema: Falta de qualidade do ensino
 
O método PBL/ABP foi abordado e todas as suas práticas tanto nos cursos da saúde, como nas demais áreas de ensino, sua influência na sociedade, além do papel do aluno, do tutor e da universidade para o bom funcionamento do método. A estrutura oferecida pelo Campus de Lagarto também foi estudada e os métodos de ensino tradicional e PBL foram comparados, bem como os profissionais formados através de cada um desses. Através dos debates, foi possível conhecer o funcionamento do ABP que funciona baseado nas sessões de Tutorial, Habilidades, PEC e Laboratório.
A metodologia do PBL enfatiza o estudo auto – dirigido, centrado no aluno. Os tópicos a serem aprendidos são identificados a partir da apresentação de um problema real ou simulado a um grupo de alunos. Para solucionar este problema é necessário recorrer aos conhecimentos prévios, adquirir novos conhecimentos e integrá-los. Essa integração, aliada à aplicação prática imediata, facilita a retenção do conhecimento, que pode ser mais facilmente resgatado, quando o estudante estiver diante de novos problemas. O maior objetivo do Ensino Baseado em Problemas é a formação do profissional mais humanizado, com consciência social e profissional; , o profissional formado possui maior adaptabilidade as mudanças, habilidade de resolver problemas em situações não – rotineiras, pensamento crítico e criativo.
Nas , os problemas abordados são debatidos e solucionados com a condução do coordenador e do secretário e o auxílio do tutor, este, diferente do professor do método tradicional, apenas estimula a discussão e faz pequenas interferências, sem alterar o andamento da sessão. No laboratório é estudada a parte prática dos assuntos, no caso das áreas de saúde, assuntos como citologia, histologia e anatomia, com o auxílio dos tutores, monitores e técnicos. Na PEC (Práticas de Ensino na Comunidade), todos os temas do tutorial, bem como as questões relacionadas ao SUS são vistas na prática através da vivência na comunidade e nas Unidades Básicas de Saúde. Em Habilidades, os alunos aprendem a fazer pesquisas científicas, artigos, manuseio de equipamentos e uso de EPIs e EPCs dentre várias outras habilidades necessárias a cada profissional da área da saúde.
O campus de Lagarto da Universidade Federal de Sergipe estrutura relativamente boa para a prática do PBL, porém os recursos  ainda são escassos e em fase de adaptação, pois a universidade ainda funciona num prédio provisório.
As hipóteses que foram levantadas  foram confirmadas, porém com adição de informações, por exemplo, na questão do perfil do profissional formado através do PBL, a hipótese levantada foi que este seria mais humanizado, mas através das pesquisas, foi descoberto que o profissional além de mais humanizado, possui vários outros atributos de diferenciados, como facilidade em trabalhos em equipe, motivação ao auto – aprendizado e organização.
O grupo se saiu bem, no entanto o nervosismo atrapalhou um pouco no desempenho, mas para um momento inicial, a sessão tutorial correu bem.
Reflexão: O ensino e o aprendizado em grupo ensinam antes de tudo, a respeitar o próximo.

 EXEMPLO 2
 
PORTFÓLIO REFLEXIVO DE APRENDIZAGEM

Aluno: Tassia Nayana Andrade Matos
Tutor: Ernande Valentin do Prado
Turma: GT 26
Subunidade: 1

Título do Problema: Saúde na UFS

Conteúdo Abordado: O método PBL
a)      Sim. O assunto não permitia grandes extensões, ainda assim o aprofundamento em algumas partes foi inevitável devido ao estudo autodirigido.
b)      Aprendi a lhe dar com o novo método, suas fraquezas, vantagens, particularidades importantíssimas para evitar o erro.
c)       O assunto não tem uma extensão favorável à pesquisa. É preciso melhorar a compreensão do problema e a identificação das perguntas necessárias.
d)      Um método com princípios, sendo implantado aos poucos, tendo como uma de suas bases principais o compromisso com a qualidade de vida e a humanização profissional valorizando assim o trabalho com a prevenção e a promoção a saúde. Utilizando para a aprendizagem um material didático que permita a interatividade explorando o raciocínio, senso crítico, capacidade de criatividade do aluno e o trabalho em equipe. 

1- Como funciona o método?
*Baseado em problematização de situações na qual os alunos devem sugerir soluções (hipóteses) a partir de um conhecimento prévio, estudar e praticar o caso em questão. A elaboração do problema é crucial para o bom aproveitamento e dá o estímulo ao pensamento crítico, pois é estimulado a construir ativamente sua aprendizagem, articulando seus conhecimentos prévios com os outros estudantes do grupo.
*Fornece ao estudante condições de desenvolver habilidades técnicas, cognitivas e atitudinais aplicáveis tanto para o cuidado dos pacientes quanto para aprender a estudar com maior fixação do assunto devido a pequena quantidade de alunos em sala e grande quantidade de práticas que ajudam o aluno a formar o sua própria teoria.

2- Qual o perfil do profissional formado no método PBL?
*Aptos a soluções imediatas dos problemas, compromissados com a qualidade de vida da população, com um traço de humanização.
*Perfil do profissional: Raciocínio, senso crítico e trabalho em equipe.
*COSTA, Eduardo (2010) Estimula a busca, a adaptação de fazer pesquisas para não sermos eternos consumidores de conhecimento estrangeiro e adaptações precárias de soluções criadas para realidades distintas da nossa.

3- O que é GT, DH, Laboratórios, Palestras e PEC? E como funciona cada um em específico?
GT – Grupo Tutorial, onde grupo de mais ou menos 10 alunos debatem supostos problemas citados pelo tutor.
DH- Diretrizes Habilidades- Aula prática de como os alunos devem-se portar na presença dos pacientes e/ou assistidos, aprendendo também como portar-se em meio acadêmico. Ex.: Como atender um paciente de forma correta, Comunicacional, Biossegurança, métodos de pesquisas.
Laboratório- Aula prática e visual na maioria das vezes estudados no tutorial afim de ampliar a visão do aluno sobre o assunto ministrado.
PEC –Práticas de Ensino na Comunidade, onde o aluno verá a realidade no seu campo de atuação, mostra o meio social em que a população da comunidade vive. Trabalha principalmente com a saúde preventiva pois assim evitariam muitas doenças.
Palestras- Informacionais, a fim de atualizar o aluno em seus conhecimentos através de um atuante (palestrante). É a parte mais aproximada do método normal, pois há um profissional cedendo informações aos alunos, que fazem anotações para posteriores aulas.

4- Qual a estrutura que o campus de Lagarto oferece?
Salas para tutoriais com capacidade para 12 alunos, contendo data shows, mesa “redonda” para a discussão do problema, quadro interativo. O ambiente e a quantidade de alunos por sala é um elemento favorável à aprendizagem e o tipo da mesa tira a ideia de aula “propriamente dita” desviando a atenção do professor como elemento principal e focando no aluno, um dos objetivos do método. Dispõe de laboratórios de informática, microbiologia e anatomofuncional com equipamentos, peças anatômicas que facilitam o entendimento do aluno. 

5- Qual a diferença entre a estrutura de um campus do ensino tradicional e a do PBL?
Quantidade reduzida de alunos por sala (implicando em mais acesso ao tutor), Laboratórios diferenciados com partes separadas para maior visualização na hora do estudo. No lugar do corpo humano conservado em formol, boneco que simula sinais vitais. Materiais didáticos que exploram o raciocínio e a criatividade do aluno devido a possibilidade de simular aspectos da realidade.

PESQUISA SOBRE O MÉTODO – Revista Brasileira de Educação Médica
Entre 10 estudos analisados, um americano e um canadense avaliaram a transição de currículo tradicional para um ABP. Sendo que o canadense diferia do americano por ser um currículo orientado à comunidade.
Os resultados  do curso ABP são mais positivos que o tradicional dos 10 quesitos só 2 foram piores mesmo assim, em poucas competências e habilidades.
Os ABP’s visam mais competência relacionadas à prevenção de doenças,  promoção da saúde e à compreensão da articulação entre a atenção primária e hospital.


VANTAGENS E DESVANTAGENS
Vantagens – O professor conhece em profundidade o assunto que ministram identificando facilmente os níveis de conhecimento prévio. As vantagens são relacionadas ao favorecimento da aquisição de conhecimento, desenvolvimento de habilidades, capacidade e atitudes profissionais positivas por parte dos estudantes, independente da área de conhecimento.
Desvantagem- O temor da mudança, muitos pedagogos sabem da importância do PBL porém hesitam em implementos devido a falta de experiência e limitações como perda de profundidade no conhecimento e possibilidade de uma menor e mais desestimulante formação em cadeiras básicas.

BIBLIOGRAFIA
ARAÚJO, A. M. P. de; RODRIGUES, E. de A.. O Ensino da contabilidade: Aplicação do método PBL nas disciplinas de contabilidade em uma Instituição de ensino superior particular. Disponível em: <http://www.congressousp.fipecafi.org/artigos62006/448.pdf> Acessado em: 06 mar. 2012

COSTA, Eduardo. Proposta de mudança atitudinal pedagógica para os dois primeiros semestres do curso de Odontologia no Brasil. abr. 2010 Disponível em:<http://www.webartigos.com/artigos/proposta-de-mudanca-do-atitudinal-pedagogico-para-os-dois-primeiros-semestres-do-curso-de-odontologia-no-brasil/35423/> Acesso em: 05 mar. 2012

GOMES, Romeu ET AL. Aprendizagem Baseada em Problemas na formação médica e o currículo tradicional de Medicina: uma revisão bibliográfica. Rev. Bras. Educ. med., Rio de Janeiro, v. 33, n. 3, Set. 2009. <http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0100-55022009000300014&script=sci_arttext> Acessado em: 05 mar. 2012

GORDAN, P. Med On Line, v.1, n.1, jan/fev/mar. 1998. Disponível em: <http://www.medonline.com.br/med_ed/med1/entrev.htm> Acessado em: 06 mar. 2012

REZENDE, Flávia. As novas tecnologias na prática pedagógica sob a perspectiva construtivista. Pesquisa em educação em ciência. Rio de Janeiro, v.02, n.1, mar. 2002 Disponível em: <http://www.portal.fae.ufmg.br/seer/index.php/ensaio/article/viewFile/13/45> Acessado em: 06 mar. 2012

SOARES, M. A.; ARAÚJO, A. M. P. de. Aplicação do método de  ensino problem based learning (PBL) no curso de ciências contábeis: Um estudo empírico. Disponível em: <http://www.anpcont.com.br/site/docs/congressoII/03/EPC045.pdf> Acessado em: 06 mar. 2012

TOLEDO JR., Antônio Carlos de Castro et al. Aprendizagem baseada em problemas: uma nova referência para a construção do currículo médico. Revista Médica de Minas Gerais, Minas Gerais, 2008. Disponível em: <http://rmmg.medicina.ufmg.br/index.php/rmmg/article/viewFile/11/12> Acessado em: 05 mar. 2012

Nenhum comentário: